Eventos, Animação e Cultura

Feira Nacional do Cavalo - FNC - Golegã

Integradas na Feira de S. Martinho, a Feira Nacional do Cavalo é hoje o maior evento nacional do mundo equestre.

 

É a feira em que o país tradicional, rural e marialva se passeia ao longo da típica vila da Golegã. É uma festa que acolhe todos os anos centenas de milhares de visitantes que por gosto, curiosidade ou tradição continuam a procurar esta vila ribatejana por altura do Outono. Prova-se a água-pé e a jeropiga e comem-se as castanhas assadas. 

 

Neste ambiente único, dedicado à cultura equestre, haverá lugar para as mais diversificadas iniciativas como concursos de atrelagem, apresentação de cavalos puro-sangue, apresentação de cavalos montados, concursos de saltos de obstáculos e de cavalos de sela, jogos de horseball, além de um contínuo desfile de amazonas, cavaleiros e atrelagens no largo do Arneiro. 

 

http://fnc.cm-golega.pt/

 

Expoégua - Golegã

Organizada por alturas de Maio de cada ano, a Expoégua é um certame para apreciadores de equinos e de produtos tradicionais, que é como que um aperitivo do grande certame de Novembro que engloba a tradição popular do S. Martinho e a Feira Nacional do Cavalo.

 

A Expoégua é um certame dedicado às "mães e filhas" de todas as raças de cavalos, juntando um grande número de criadores de cavalos, nomeadamente de puro sangue lusitano.

 

Além de exposições de éguas, poldros e  poldras, o certame conta com o Concurso Nacional Expoégua, onde  serão eleitos os melhores exemplares presente, bem como com um cem número de provas de equitação, atrelagem e outras provas equinas.

Romaria a São Martinho - Golegã

A Romaria a São Martinho realiza-se desde 2002 e é uma iniciativa anual que integra o programa da ExpoÉgua, evento que decorre por alturas de Maio na vila da Golegã. Trata-se de um cotejo de Romeiros, que se fazem deslocar a cavalo ou através de carros puxados a cavalos.

 

O desfile parte do Largo da Feira em direção a uma das Igrejas do concelho, onde é realizada uma cerimónia religiosa no exterior da mesma onde os romeiros a assistem em cima dos seus cavalos e carros. 

 

O andor com a imagem do São Martinho é então transportado a cavalo até à margem da Alverca (zona alagada) da Golegã, onde alguns barcos aguardam pela chegada do cortejo para transportarem o Santo até ao jardim do Equuspolis, noutro ponto da vila. Por fim decorreu o almoço campestre até ao pôr-do-sol e continuou-se a confraternizar, a dançar e a petiscar.

 

Festa do Bodo - Azinhaga

A Festa do Bodo é uma festa em honra do Divino Espirito Santo que decorre na Freguesia da Azinhaga no final do mês de Maio a cada 4 anos. As ruas da Azinhaga enchem-se de flores decorando as ruas da terra e dando-lhe um colorido particular.

 

Em cerca de quatro dias de festa e tradição existe um cem número de atividades passando por cortejos simbólicos de recolha e distribuição de pão,  eventos tauromáquicos (largadas e corridas de touros) e diversão noturna com concertos e Djs que prolongam a animação pela noite dentro.

 

A recolha do "Bodo", nome que se dá ao pão doado pela população, é o ponto alto da festa.

 

 

 

 

 

Atrelagem de Tradição - Golegã

A história, beleza, desporto, tradição. Estas quatro palavras parecem definir na perfeição este tipo de eventos que anima com regularidade a vila da Golegã.

 

Sempre que acontecem estes eventos, a pequena vila do Distrito de Santarém “veste-se” com pompa e circunstância para receber os Concursos de Atrelagem de Tradição e a Tradição Automóvel. O pretexto perfeito para saírem à rua cavalos, coches, carruagens e carros antigos e de coleção que fazem parte do imaginário de todos nós. 

 

A prova de Atrelagem de Tradição, que é já uma referência no panorama internacional, é por norma disputada no Parque da Quinta da Brôa, propriedade da família Veiga. Nesta fase são apreciados a qualidade do carro, os seus restauros, o bom estado dos arreios, a apresentação dos cavalos e do concorrente e dos seus acompanhantes.

Posteriormente a prova consiste num percurso de 14 quilómetros, pelas estradas e ruas da Golegã, onde encontram diversas dificuldades que têm de ser superadas com mestria, engenho e elegância.

 

 

Feira Nacioal dos Frutos Secos - Torres Novas

Realizando-se desde 1985 de forma ininterrupta, este é um evento que ano após ano volta a afirmar Torres Novas como «Capital dos Frutos Secos» mas sobretudo visa dinamizar um sector com fortes raízes na tradição e na cultura torrejanas.

 

Num mundo em constante mutação, e onde a velocidade das mudanças é cada vez mais vertiginosa, a Feira Nacional dos Frutos Secos espelha bem as potencialidades duma aliança entre a tradição e a inovação, conjugando objetivos de diferenciação e de qualidade com a transmissão de conhecimento e de envolvimento da comunidade torrejana e do visitante.

 

Entre os principais objetivos da Feira contam-se a dinamização e a dignificação do setor dos frutos secos e passados, a preservação dos saberes e sabores associados aos frutos secos, com principal destaque para a tradição, cultura e património torrejanos.

 

www.facebook.com/fnfrutossecos

 

 

Feira Medieval - Torres Novas

Com uma periodicidade anual, e desde a sua primeira edição no ano de 2010, Torres Novas recua no tempo por alturas da sua feira medieval. Durante este grande evento toda a cidade se envolve no espírito de dar nova vida à História, e os dias enchem-se de magia, animação e surpresa, num centro histórico onde impera um castelo renovado e uma praça plenos de vida. Uma festa cheia de cor, cheiros e sabores de outrora, que convida o visitante a uma autêntica viagem no tempo.

 

Considerada uma das melhores feiras medievais da Península Ibérica, destaca-se de outras que se realizam no nosso país pela sua forte componente pedagógica, útil na transmissão de conhecimentos sobre a história local e nacional, a par do rigor histórico inerente a todo o evento.

 

Um programa de animação permanente, performances musicais e teatrais que fazem a contextualização histórica, cortejos e danças, a par de um programa de atividades lúdicas e de interpretação histórica, asseguram a sua forte componente pedagógica.

 

www.memoriasdahistoria.com

www.facebook.com/memoriasdahistoriatorresnovas

 

Benção do Gado - Riachos

A Festa da Bênção do Gado em Riachos realiza-se de quatro em quatro anos por alturas do mês de Julho.

Esta é uma festa de raízes populares, organizada sobretudo pelas gentes da terra, com base nas suas manifestações culturais muito próprias.

 

O cortejo da bênção do gado, que hoje em dia é também a bênção da maquinaria agrícola, dá o sentido central a estes festejos. É aqui que se cumpre a tradição do princípio do século XX em que esta festa se realizava todos os anos, em honra de S. Silvestre, patrono dos campos e dos animais. Outra das tradições que dão sentido a esta festa é a da procissão do Senhor Jesus dos Lavradores, a imagem religiosa que está por detrás da lenda que confere uma dimensão sagrada a estes festejos.

 

Além dos momentos tradicionais e religiosos, a Festa da Bênção do Gado é o principal momento de encontro dos riachenses, onde existe muita festa com espetáculos, exposições, cortejos, tauromaquia, desporto e muito mais.

 

festa almonda.jpg
Festas do Almonda - Torres Novas
sea-4.jpg

As Festas do Almonda assinalam anualmente a elevação de Torres Novas à condição de cidade, data que se celebra a 8 de julho. Com um programa habitualmente preenchido por várias propostas artísticas e desportivas, e que se divide por vários dias de festa, os fins de tarde e as noites de julho são em Torres Novas um verdadeiro convite para ouvir e dançar boa música, assistir a uma peça de teatro em família, percorrer um caminho na Serra ou simplesmente desenhar com muita atenção as flores vermelhas do jardim.

A tradição das tasquinhas, onde as mesas se enchem de comida e conversa, a venda de artesanato ou o Festival de Folclore são exemplos do que pode esperar ao visitar Torres Novas por esta altura. O amplo espaço que acolhe este evento e que fica bem no coração da cidade dá pelo nome de Jardim das Rosas, e situa-se junto à margem do rio Almonda que lhes dá o nome.

As Festas do Almonda cruzam e confrontam estilos e tendências, procurando manter uma coerência viva entre o que foi e os novos ingredientes para o que será. Por isso, a cada ano que passa, lá nos encontramos uma vez mais no Jardim das Rosas, para comer, beber e ouvir música em conjunto, para dançar clássicos ou novas sonoridades e nos divertirmos junto ao rio.

cabrito 01.jpg
Festival Gastronómico do Cabrito - Torres Novas

O Município de Torres Novas, em colaboração com restaurantes do concelho, promove este Festival Gastronómico do Cabrito.

As especialidades gastronómicas disponíveis vão desde o cabrito assado no forno com batatas e grelos ao cabrito na púcara, passando pelo ensopado ou caril de cabrito, sem esquecer a doçaria à base de produtos tradicionais da região, nomeadamente, os frutos secos de Torres Novas.

Esta iniciativa, que visa contribuir para a afirmação e preservação de um dos pratos típicos da gastronomia torrejana, pretende ainda apoiar o setor da restauração e captar a atenção do visitante para os aromas e sabores únicos da gastronomia local.

cabrito 02.jpg
feira antiguidade.jpg
Feira de Antiguidades, Velharias & Colecionismo - Torres Novas
velharias.jpg

A cidade de Torres Novas acolhe aos quartos domingos do mês, a Feira de Antiguidades, Velharias & Colecionismo, a qual guarda também alguns segredos e preciosidades.

Das loiças aos livros, dos postais aos selos, entre os demais objetos e lembranças do passado.

Em caso de mau tempo, a Feira abriga-se da chuva e muda de instalações para o Mercado.